Paulo Jubilut

Paulo Jubilut

A plataforma YouTube Edu, iniciativa educativa do Google, foi lançada no Brasil no fim do ano passado com o objetivo de reunir conteúdos gratuitos para estudantes, professores e escolas de todo o país.

Para Paulo Jubilut, dono do canal que leva seu nome e é o maior do Brasil sobre Biologia, com 279 mil inscritos em três anos, o YouTube proporciona um tipo diferente – e melhor – de aprendizado do que uma sala de aula, já que o aluno procura pelos vídeos por vontade própria.

“Nas videoaulas, o estudante pode assistir e pausar a aula quantas vezes quiser, no horário que estiver mais disposto e no lugar que quiser. A aprendizagem é muito mais significativa. Na maior parte das vezes, o aluno não assiste videoaula por obrigação, foi uma escolha dele, e isso faz toda a diferença”, diz ele.

César Medeiros, mais conhecido como “Nerckie”, é dono do Vestibulândia, um dos canais de educação mais antigos do YouTube, no ar desde 2006 e com mais de 467 mil inscritos. Mesmo não sendo professor – ele é formado em engenharia mecânica –, passou a dar aulas online de matemática e química por sua paixão pelo ensino e concorda com Jubilut. “No Youtube o aluno pode pausar, repetir determinada passagem ou mesmo avançar o vídeo, tudo isso de acordo com seu ritmo pessoal. É possível, pela ‘mágica’ proporcionada pela edição, apresentar gráficos e animações 3D que são, muitas vezes, inviáveis na maioria das salas de aula. Ou seja, o aluno possui oportunidade de aprender mais rapidamente, com mais conteúdo e de maneira complementar”, afirma.

O projeto YouTube Edu é resultado de uma parceria entre o Google e a Fundação Lemann, e todos os vídeos e canais passam por um rigoroso processo de curadoria – feito por uma equipe de 16 professores coordenados pela Fundação – antes de irem para a plataforma, a fim de garantir a veracidade e a precisão dos conteúdos ensinados. O YouTube Edu já possui 102 mil inscritos na plataforma e hoje conta com mais de 15 mil vídeos/aulas em português.

Jubilut, além do canal, possui um site chamado “Biologia Total”, que já possui mais de um milhão de visualizações em apenas dois anos de existência. Por lá, ele posta conteúdo pago sobre os assuntos trabalhados no ensino médio e começou, também, a gravar aulas para o ensino superior. “Atualmente, uso o meu canal do Youtube apenas pra dar aulas ao vivo quinzenais”, diz.

Nerckie também possui um site, o “Vestibulândia”, que é atualizado apenas em seções específicas. Ele explica que espera acumular algumas aulas para poder atualizar estas áreas. “Em todo caso, penso no ano que vem em reformular o site e criar uma plataforma educacional”, diz ele.

Ambos educadores recebem diversos feedbacks positivos por dia, seja pelos comentários no YouTube, redes sociais ou até e-mail. Para Jubilut, aqueles que mais marcaram sua trajetória são histórias de superação. “Os que mais me emocionam são as histórias de superação de alunos que não tinham condições de pagar um bom colégio ou cursinho e conseguiram entrar na universidade apenas estudando com as videoaulas do YouTube”, diz.

Nerckie afirma que os alunos sempre dizem que conseguem aprender algo que ‘não entrava na cabeça de jeito nenhum’, e acha isso enaltecedor.  “Um dos comentários que mais me marcou foi o de um adolescente que me disse que tinha dinheiro para comer ou para estudar, mas não as duas coisas simultaneamente. Com as minhas aulas, ele conseguiu conquistar uma vaga em uma universidade e afirmou que eu o ajudei a evitar a fome dentro de casa. Disse ainda que ele no futuro seria também professo,r para ajudar as pessoas carentes. Foi comovente”, diz.

Para que os alunos se preparem para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece neste sábado (8) e domingo (9), ambos educadores concordaram que o melhor a fazer é relaxar, pero no mucho. “Revise alguns assuntos importantes, como regra de três, além de estatística, pois estes são temas recorrentes. Refazer algumas questões de provas anteriores também ajuda muito, mas acima de tudo, descanse e vá fazer a prova de forma tranquila”diz Nerckie.

Já Jubilut diz ter acreditado por muito tempo que o correto seria apenas descansar, mas que, com os vídeos, passou a entender melhor a cabeça dos alunos. “Na verdade, eu posso te mandar relaxar, mas você não vai relaxar. Só relaxa quem não estudou. Eu mudei meu conceito em relação a isso. Dê uma revisada em tudo, folheie as apostilas, dê uma lapidada naquilo em que você ainda tem dificuldade”, afirma.

Fonte: Info